Cooperativa Bordana está entre os vencedores de prêmio nacional de artesanato

A Cooperativa de Trabalho de Produção de Bordado Artesanal do Cerrado Goiano (Bordana) está entre os 100 vencedores da 4ª edição do Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato. O resultado final foi divulgado sexta-feira (5). O local e a data para a entrega da premiação ainda não foram informados.
O objetivo do prêmio é promover o artesanato brasileiro e ao mesmo tempo identificar as melhores práticas desenvolvidas nas unidades de produção mais competitivas do País. Com a classificação, a Bordana terá, além do reconhecimento nacional pelo trabalho que executa, direito de usar o selo "Prêmio Sebrae TOP 100 de Artesanato" por três anos, a contar da data de entrega dos certificados.
Além disso, a Bordana poderá participar ainda de rodadas de negócios, feiras e exposições. Sua produção será inserida em um catálogo, distribuído entre compradores do Brasil e do exterior, e para um público formador de opinião como arquitetos e decoradores.

Os critérios avaliados para premiar os 100 melhores trabalhos de artesanato do Brasil são: política de inovação; qualidade dos produtos; identidade e compromisso cultural; embalagem; condições de trabalho; sustentabilidade ambiental; organização da produção; adequação econômica dos produtos; práticas comerciais; responsabilidade social e planejamento e gestão.
Fonte: 
http://www.goiascooperativo.coop.br/noticias/cooperativa-goiana-bordana-esta-entre-os-vencedores-de-premio-nacional-de-artesanato/

Bordana: uma união de amor que empreendeu sonhos e transformou atitudes


Esboços, novelos e agulhas... Combinações eleitas para o início da expressão harmoniosa do bordado. Mãos delicadas e firmes se entrelaçam em meio a texturas, linhas e tons que embrenham uma criatividade dessas meninas, bordadeiras uniformizadas, que levam o brasão SOU BORDANA, transformando simples desenhos em obras de arte.


Tarde de sábado, céu com nuvens arroxeadas anunciando a próxima chuva! Cenário em que vinte três mulheres viajam em cada ponto livre, arte, ladeado; ambos pensados com um único objetivo, ver o tracejado se metamorfosear em uma linda tela do Cerrado Goiano, plano de fundo para expressão de tanto trabalho e sutileza.

O espaço reservado em que se localiza a Cooperativa Bordana, no Conjunto Caiçara em Goiânia, relata um ambiente tranquilo e aconchegante que abriga com carinho as “meninas bordadeiras”, como são chamadas, que traçam ali linha por linha, desenvolvendo um trabalho magnífico através do bordado à mão.

Trabalho solidário em que sua idealizadora, Celma Grace de Oliveira concebeu esse projeto para manter viva a memória da pequena Ana Carol, sua filha que morreu aos dez anos, vítima de leucemia. Cheia de sonhos, mesmo pequena, Ana já fazia parte de ações sociais e adorava trabalhos relacionados ao artesanato.

Bordana é uma junção de bordado com o nome Ana, homenagem singela rendeu uma combinação perfeita, que rende frutos graças aos sonhos dessa garotinha, que passou por aqui e virou uma estrela - como declara sua mãe, emocionada sempre que lembra em palavras da menina. 

Celma viu na concretização dos sonhos de Ana Carol, a oportunidade de fazer do empreendedorismo social, uma forma de ajudar na renda e na autoestima de mulheres da comunidade do Conjunto Caiçara. O conceito Bordana partiu daí, cheio de histórias difíceis, mas que vão sendo superadas com amor e afinco, aliadas ao trabalho coletivo e o companheirismo dessas meninas guerreiras.

Em cada ponto vê-se o refúgio dos problemas e angústias de casa que vão se tornando passado. No slogan da cooperativa, “mãos que se unem em linhas que se cruzam” é possível perceber a cumplicidade e união que essas meninas possuem, uma segunda família que viu no trabalho a mão, uma maneira de instigar a felicidade, superar os desafios e promover novos laços de amizade. 

Ao início de cada bordado, as “Bordana’s”, imprimem histórias no tecido, carregado de cores das linhas e das suas texturas, aonde os desenhos vão ganhando cor, forma e vida. Nota-se a dedicação de cada peça, às belezas do Cerrado Goiano.  Chichá, cajuzinho, jequitibá, pequi, ipês e tantos outros símbolos do cerrado vão distraindo e levando essas adoráveis meninas em seus sonhos futuros.

Sonhos que elevam o pensamento na família e nas companheiras de lida, na busca por um amanhã mais florido e frutífero. Mãos privilegiadas de meninas doces e graciosas que abraçam o cerrado em cada tom bordado, numa expressão da alma que enche os olhos com cada sorriso satisfeito, diante da impressão da agulha no tecido adornado.

Meninas, em média com 50 anos, que empregam no bordado o amor, o prazer e a vida que tanto precisavam conhecer para alcançar a serenidade e a paz. São Margaridas, Cecílias, Rosenélias, Dalilas, Luizas, Celmas, Márcias, Gleidys, Erinas, Marias, Nélias e tantas outras que fazem da esperança e da força de lutar, um motivo e um energético natural para vencer.

Por Janaina Honorato e Rafael Cirqueira - estudantes de Jornalismo da Faculdade Alfa
Prezadas (os),
 
Chegamos ao final de 2015 com sentimento de gratidão!

Neste ano, renovamos e construímos muitas e novas parcerias, produzimos e lançamos com muito sucesso a nossa segunda coleção e o nosso primeiro catalogo, vimos nosso trabalho ser valorizado e reconhecido em todos os lugares que chegamos. Tivemos a grata alegria de formar várias bordadeiras, ampliando os horizontes de dezenas de mulheres, gerando renda, resgatando a autoestima, valorizando o trabalho e fortalecendo o cooperativismo.
2015 foi um ano de muitos resultados positivos, mas também de muitos desafios para o nosso país, e nesse sentido, acreditamos sempre, como canta Milton Nascimento na música “Maria, Maria"​, que é

“preciso ter força,
É  preciso ter gana sempre
É preciso ter manha,
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida... ”

Porque acreditamos na importante missão do cooperativismo de ser um instrumento de organização social, econômica e sustentável, capaz de reduzir as injustiças e as desigualdades no mundo. Por que no cooperativismo, tal como o compreendemos,​ o mais importante são as pessoas e a união, e não o lucro e a ganancia.
​Nesses momentos se torna ainda mais importante promover novos modelos de negócios que, além da valorização do trabalho e da viabilidade econômica, gera impacto social. Em 2016 seguiremos reafirmando o nosso sonho, de uma sociedade mais justa, digna e próspera.
Agradecemos mais uma vez pela parceria, apoio e cooperação, contamos com você em 2016 para fazer a diferença no mundo, venha contribuir com a concretização desse sonho. Juntas (os) somos mais fortes!

Gratidão a todas e todos!

Um especial, ​feliz e prospero ano novo!

Cooperadas Bordana


Bordana lança coleção diferenciada para alcançar outros Estados



De olho num mercado ainda inexplorado, para um público que valoriza qualidade e requinte, a Cooperativa de Trabalho de Produção de Bordado Artesanal do Cerrado Goiano (Bordana) lançou, nesta quarta-feira (2), sua nova coleção de bordados para cama, mesa e banho, além de outras peças de artesanato. Intitulada "Arranjo Produtivo - Um sonho bordado à mão", a coleção foi apresentada com 500 peças bordadas à mão, a partir de desenhos originais, sobre tecidos 100% algodão.
Entre os itens elaborados para a coleção, estão colchas, almofadas, cortinas, toalhas de mesa, panos de prato, jogos americanos, guardanapos e aventais.

A cerimônia de lançamento foi realizada no Palácio das Esmeraldas e lotou o Salão Dona Gercina Borges. A presidente da Bordana, Celma Oliveira, apresentou o trabalho e, em seu discurso, agradeceu às bordadeiras pela dedicação, ao Sistema OCB/SESCOOP-GO pelo apoio e investimento, e à parceria do Sebrae e governo de Goiás. 
A primeira-dama de Goiás, Valéria Perillo, que é presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) e apoiou o lançamento, elogiou a coleção da Bordana, principalmente por apresentar como tema a riqueza e a biodiversidade do Cerrado goiano. 

A cooperativa desenvolveu toda produção com a consultoria de arte e de produção do conceituado designer e professor de artesanato Renato Imbroisi, de São Paulo. O trabalho foi inciado em abril de 2014 e também será lançado em nível nacional, a começar por São Paulo, no Museu A Casa.
Fonte: http://www.goiascooperativo.coop.br/noticias/bordana-lanca-colecao-diferenciada-para-alcancar-outros-estados/

Fotos dos produtos: Moa Marques
Colcha de Casal Vaso das Artesãs 2,40x,2,50

Colcha Casal Cerradão 2,40x2,60

Americano Flor Girafa e Porta Guardanapo 

Colcha Flor Girafa 2,40x2,60

Cortina Flor Girafa 1,60x1,60

Colcha Florada 2,40x2,60

Necessaires pequena 17x33 e média 27x44

Aventais Flor Girafa, Florada e Vaso Artesã 74x80



Caderneta Flor Girafa 18x30


BORDANA LANÇA COLEÇÃO NO PALÁCIO DAS ESMERALDAS

Peças de cama e mesa e acessórios bordadas a mão foram disputadas por convidadas que participaram do lançamento. O designer Renato Imbroisi também marcou presença
Valéria Perillo entre a diretora geral da Organização, Eliana França (E), e a presidente da Cooperativa Bordana, Celma Oliveira (D) | Imagem: Cristina Cabral



A presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), Valéria Perillo, recebeu convidados para o lançamento da Coleção Arranjo Produtivo, Um Sonho Feito à Mão, da Cooperativa de Bordadeiras Bordana, hoje de manhã, no Salão Dona Gercina do Palácio das Esmeraldas. A vice-presidente de honra da instituição, Fabrina Müller, e a diretora geral da Organização, Eliana França, prestigiaram o evento.

Flores do Cerrado são o tema central da nova coleção da cooperativa Bordana | Imagem: The Book

A coleção, que tem como tema as flores do Cerrado, reúne 500 peças para copa, cozinha e sala bordadas à mão a partir de desenhos originais sobre tecidos de algodão, entre elas colchas, almofadas, cortinas, toalhas de mesa, panos de prato e itens de papelaria, como cadernos e cadernetas com bordados na capa.

Almofadas em formas de flores do Cerrado | Imagem: The Book

O trabalho das 27 bordadeiras associadas foi desenvolvido por meio do apoio do Sistema Organização das Cooperativas do Brasil do Estado de Goiás (OCB-GO), Serviço Nacional de Aprendizado do Cooperativismo em Goiás (SESCOOP-GO) e Serviço Brasileiro de Apoio à Pequena e Micro Empresa de Goiás (SEBRAE-GO).


Almofadas de vários tamanhos com vasos de flores bordados | Imagem: The Book
As peças resultaram, também, de parceria entre o designer Renato Imbroisi - que veio especialmente a Goiânia para o evento-, e as cooperadas em oficinas realizadas a partir de março de 2014.
Almofadas de vários tamanhos com vasos de flores bordados | Imagem: The Book
“É com alegria que recebemos no Palácio das Esmeraldas a exposição deste belo trabalho. Essas bordadeiras são guerreiras, talentosas e muitas vezes ficam no anonimato. São mulheres que conseguem transformar objetos necessários em peças de encantamento. O Governo de Goiás incentiva este tipo de iniciativa que representa oportunidade, geração de emprego e renda”, destacou Valéria Perillo, que emocionou-se ao relembrar a história de superação da presidente da cooperativa, Celma Grace de Oliveira.
Valéria Perillo durante evento de lançamento, fala aos convidados | Imagem: The Book

O grupo Bordana se aglutinou em torno de Celma, que idealizou e criou o Instituto Ana Carol (IAC), em homenagem à sua filha Ana Carolina Oliveira Campos, que morreu em dezembro de 2007, aos 10 anos, vítima de um tipo raro de leucemia.


Celma Grace de Oliveira abre o evento no Palácio das Esmeraldas | Imagem: The Book
Celma agradeceu o apoio do Governo do Estado, que segundo ela, apostou no trabalho desenvolvido pelas bordadeiras desde o início, em 2008. “Idealizei este projeto em homenagem a minha filha Ana Carolina que morreu, em 2007, aos 10 anos de idade, vítima de leucemia. Ela sempre gostou de artesanato e sonhava em ser designer de moda. Foi uma maneira de manter viva a memória dela e, ao mesmo tempo, conseguir melhorar a autoestima das bordadeiras e gerar renda para elas”, pontua.

Valéria Perillo e convidados no Salão Dona Gercina Borges Teixeira | Imagem: The Book
Cecília Ferreira, 75 anos,  a bordadeira mais antiga da Cooperativa. Ela garante que sua vida se transformou com o início da atividade. “No começo, não levava muito jeito. Mas, com persistência, fui aprendendo. A Bordana representa uma nova etapa para mim. Melhorei minha autoestima e sou muito feliz”, comemora.

No centro, empresária Maria Abadia Haich  e convidados | Imagem: The Book
CERRADO
Desde sua criação, em 2008, a Bordana tem no Cerrado seu tema central. Para desenvolver a coleção, foram propostos exercícios pelo designer: o desenho de observação de flores no próprio Cerrado, a criação de arranjos florais pelas bordadeiras em vasos escolhidos por cada uma, depois desenhados e bordados por elas e a produção de peças maiores do que costumavam fazer antes, como as colchas coletivas, em que cada artesã borda um quadrado de tecido que depois é costurado, formando uma única peça.

São peças para copa, cozinha e casa, todas bordadas à mão a partir de desenhos originais sobre tecidos de algodão, entre elas colchas, almofadas, cortinas, toalhas de mesa, panos de prato e de fogão, jogos americanos com guardanapos e aventais. Há também itens de papelaria, como cadernos e cadernetas com bordados na capa.
Convidados prestigiam evento de lançamento | Imagem: The Book
O nome Arranjo Produtivo remete aos arranjos florais e também ao trabalho em equipe que traz produtividade, profissionalização e crescimento ao grupo de artesãos. Há quatro linhas diferentes dentro da coleção: vasos de flores, flor girafa (flores com cabos longos), cerradão (grandes desenhos de flores) e florada (flores soltas no tecido). Toda a produção foi comercializada durante o evento. "A renda será rateada entre as cooperadas, segundo a produção de cada uma delas", afirmou a presidente da cooperativa, Celma de Oliveira.

Convidados prestigiam evento de lançamento | Imagem: The Book
HISTÓRIA
A história da Cooperativa Bordana começou em 2008, com a reunião de moradoras do Conjunto Caiçara, bairro da região leste de Goiânia. Com idades em torno de 50 anos, apenas algumas sabiam bordar, mas jamais haviam se profissionalizado. Houve troca de conhecimentos, algumas fizeram cursos de capacitação, tornando-se multiplicadoras. Assim começou o trabalho da instituição.

Valéria Perillo e Celma Oliveira com as cooperadas da Bordana | Imagem: Cristina Cabral
 Entre os fatores que levaram Celma Oliveira a criar a cooperativa estão o de manter viva a memória da pequena Ana Carol, a oportunidade de capacitar e qualificar as bordadeiras, a necessidade de organizá-las por meio de um instrumento jurídico, buscando valorizar o seu trabalho e melhorar a autoestima e qualidade de vida.

Outra meta foi aprimorar e agregar valor aos produtos, garantindo preço justo, e a ampliação do mercado como fonte de geração de emprego e renda para a comunidade e região. 
Para se tornar membro da cooperativa basta visitar a entidade para conhecer seu funcionamento. “Não precisa ser bordadeira necessariamente. Se a pessoa quiser aprender a bordar, ministramos o curso, ela aprende em poucas aulas e passa a integrar o grupo. Se preferir, pode trabalhar em casa, conciliando a atividade com as tarefas domésticas”, explica. A Cooperativa Bordana fica na Rua Cabo Verde, nº 5, Conjunto Caiçara, próximo à BR-153
Fonte: http://thebook.is/2015/09/02/bordana-lanca-colecao-no-palacio-das-esmeraldas/